VOTO IMPRESSO JÁ! - Rafael Brasil

 




Esta confusão da votação nos states deu-se pelas fraudes eleitorais, e muitas, mas os votos são auditáveis, em uma só palavra, recontados. Por essas e outras, democracias consolidadas e com países tecnologicamente de ponta como o Japão, os votos são da forma tradicional, ou seja, de papel.

Aqui nesta democracia “consolidada”, o píncaro das democracias ocidentais, o voto eletrônico, inauditável, é tido como uma vaca sagrada de infalibilidade mais do que papal pelas nossas altas cortes e cleptocracia política, sempre de mãos juntas.

Aliás por lá não existe essa de justiça ou crime eleitoral, tudo é crime comum. Afinal, justiça eleitoral é uma, mais uma, jabuticaba nacional. Só serve para dar empregos, altos empregos, na vaca sagrada do estado que quase tudo suga da nação sem eira nem beira, nem tampouco o velho capitalismo. Aliás capitalista pobre vive, e às vezes muito bem na informalidade, enfim todos sabem que o estado sempre atrapalha. Lá cometeu crime tem que pagar e logo na primeira instância. É como disse Olavo de Carvalho, a questão não é quem ganhou ou ganhará a eleição, mas se, como, e quem roubaram.

Em muitos estados os votos serão recontados e as fraudes só aumentam. A mídia esquerdista e até os canais das redes sociais são contra Trump, isto nos quatro anos de governo, pessoas sendo canceladas, não só em suas relações pessoais, mas até em empresas e viagem de turismo, e em empregos por serem de direita. Tal qual como aqui, onde os apoiadores de Bolsonaro são demonizados por serem de direita, por lá é talvez pior: Sobretudo nas universidades onde a ditadura esquerdista é pior , afinal estas idéias malucas da chamada pós modernidade como ideologia de gênero e outras asnices, vem de lá mesmo, das universidades. E aqui como sempre estas asneiras são copiadas nas nossas universidades onde se gasta muito sem melhores resultados nos rankings internacionais. Em síntese as universidades, com as sempre honrosas exceções, são verdadeiras fábricas de idiotas, isso já constatava lá atrás o historiador Paul Jonhson lá pelos idos de 1983 no seu grande livro Tempos Modernos.

Jonhson já criticava a forte expansão universitária nos anos 60 como uma fábrica de militantes ao mesmo tempo que crescia a intervenção do estado na educação. Como o mercado de trabalho nunca absorverá essa gente, cria-se uma geração de frustrados presas fáceis para a ideologia esquerdista do vitimismo das chamadas minorias. É essa gente do quebra quebra geral e da ditadura do politicamente correto, que dentre outras coisas tornou o mundo muito mais chato. Antes tínhamos o chato individual, facilmente evitável, agora o chato coletivo, aí é de lascar. E é essa gente que quer acabar com a democracia na América, menos mal que a militância conservadora acordou.

Portanto é importante que tenhamos o voto impresso, afinal para o partido e a consecução de uma “sociedade melhor” roubar faz parte do vocabulário esquerdista. Barroso nosso ministro das “boas maneiras” da nova ordem, disse que não podíamos retroceder diante da modernidade, afinal ele se diz um iluminista. É dessa gente que o povo deve correr, vade retro!

















Nenhum comentário:

Postar um comentário