A esquerda é progressista? Rafael Brasil

Se você é de esquerda deveria odiar a ideologia comunista



Assim como os esquerdistas se auto intitulam antifascistas, embora usem métodos fascistas, se intitulam progressistas, mas são portadores do atraso. São contra a proeminência da sociedade sobre o estado, e são defensores da centralização política nas mãos do estado e do partido.
Aliás, nos países comunistas tivemos a centralização total do poder político e econômico nas mãos do estado representado pelo partido único, e dominante. Resultado: Genocídios, foram cerca de 150 milhões de mortos no século XX em tempos de paz.
O comunismo matou mais do que todas as guerras, epidemias, catástrofes naturais, ocorridas em todo o século XX, e em toda a história ultrapassou as piores tiranias de todos os quadrantes.
Reza a cartilha comunista da revolução, a mudança total da sociedade, e até da natureza humana. Para alcançar seus objetivos convém destruir o que chamam de sociedade burguesa, em prol do devir histórico ou seja o paraíso na terra, o futuro socialista, que como a cenoura do burro, evidentemente nunca chega. E em nome desse devir histórico vale tudo. Matar, destruir, eliminar todos os seus inimigos, reais ou imaginários.
Os piores regimes despóticos são os comunistas onde só os membros da alta cúpula do governo e do partido tem direitos. Os dirigentes vivem despoticamente à revelia de toda a população severamente vigiada. Quando vejo algum esquerdista brasileiro chorar pels repressão na ditadura militar, dá vontade de rir, afinal estas mesmas pessoas glorificam regimes como o de Cuba, que está há 60 anos no poder, dentre outros como a triste Venezuale, que se transformou num estado narco traficante, onde o povo come lixo, e vive sob uma brutal repressão política.
Aqui no Brasil quase conseguiram fazer a primeira parte, a destruição total da nação. Porém o Brasil luta para sair dos escombros da torrente malévola comunista. Agora tentam barrar , seja via congresso, seja via STF que são seus apaniguados, as reformas, sobretudo do estado patrimonislista nacional, uma mistura de fascismo varguista e positivismo dos militares, além de esquerdismo, claro.
Foram contra o marco do saneamento básico que vai beneficiar milhões de brasileiros pobres aque não tem acesso a água e esgoto, contra a flexibilização do mercado de petróleo, e contra todas as privatizações que infestam o país desde a ascensão de Vargas, passando pelos milicos quando no poder. Enfim são a vanguarda do atraso nacional, e nos últimos cinquenta anos ocuparam quase todos os espaços do estado, sobretudo a educação e a cultura.
Felizmente com a ascensão da direita ao poder, coisa impensável há alguns anos atrás, as máscaras estão caindo. Figuras apontadas como a direita permitida, a esquerda moderada, como os ditos social democratas do PSDB agora tiram a máscara, como FHC e aliados como Serra, pegos em escabrosos casos de corrupção. Mas é assim, para esquerdista, roubar pelo partido e pela revolução é sempre uma ação benfazeja, é a tal da moral revolucionária.
Afinal o caso do PT não foi só roubar. Foi a destinação do roubo, afinal a ladroeira serviu para alimentar os mais tresloucados sonhos hegemônicos da esquerda no continente, financiando as piores ditaduras, como a cubana, venezuelana, nicaraguense, e muitas africanas. Tudo dentro do mais estrito espírito revolucionário e progressista. Ser progressista é isso? Fica a pergunta.

2 comentários:

  1. JOSE ROBERTO DE LIMA MACHADO-COMPILADOR DA hISTÓRIA3 de setembro de 2020 22:11

    Todo o conteúdo desse "sistema", se equilibra sobre 3(três) pilares básicos: 1. a incapacidade dos seus protagonistas de alcançar o topo(status) da pirâmide social (privilégios) pelas vias normais da competência em um ambiente de uma "sociedade convencional; 2. a exploração criminosa da população, mediante artifícios imorais e sem limites, da sua ânsia natural de desenvolvimento(individual); manifestada através de insatisfação constante, que é inerente a qualquer agrupamento humano normal. Agravada pela covarde concentração dos ataques sobre os menos esclarecidos, mais necessitados e mais vulneráveis; 3. a “mentira”, cola nojenta, mas capaz de dar forma a uma "realidade inventada". Realidade essa, baseada em “meias verdades”, implementada através de “Narrativas" bem elaboradas (desinformação). Na prática, o que se tem apresentado, ao longo da História, é um regime totalitário, com governos cerceadores da liberdade individual, e ascensão de grupos criminosos. Constituído por uma verdadeira ralé humana. Que desenvolve práticas atentatórias as conquistas morais, éticas, valores consagrados de respeito mútuo e costumes, alcançados pela Civilização Humana em seu atual estágio de evolução. Um retrocesso a práticas que se assemelha a uma “nova Idade Média”; totalitarismo absoluto, aniquilação da cidadania, e transformação do povo (titulados de trabalhadores) em zumbis a serviço De um grupo de "Supremos e Iluminados" detentores de todas as honras e benesses de um estado-criminoso.

    ResponderExcluir