Ativistas esquerdistas denigrem a imagem do Brasil no exterior - Rafael Brasil

Antifas: quem são e por que lutam - Ponte Jornalismo


Hoje o esquerdismo está diferente. Não se trata da luta do proletariado contra a burguesia, isso é coisa de comunista antigo. Ademais a classe operária ganhou dinheiro e posição social no capitalismo, em poucas palavras, não seguiu o canto da sereia, ou a cenoura de burro dos comunistas, que sempre as oprimiu. Agora é a dialética negativa, é a turma do negacionisamo, em poucas palavras contra tudo que se suponha opressão, seja da família dita patriarcal, seja de quem discorde de coisas mais do que esquisitas como ideologia de gênero, gaysismo, feminismo, abortismo,  as chamadas minorias, ou em nome delas supostamente oprimidas, por essa gente que está abalando os alicerces dos Estados Unidos, passando por vários países da Europa Ocidental, como a Inglaterra e França, só para ficarmos nestes exemplos.
Essa gente é oriunda das universidades, filhas da chamada universalização do ensino universitário de que falava o historiador Paul Jonhson desde a década de 60, que formou uma miríade de milhões de universitários, descompromissados com o trabalho, afinal muitos não conseguem entrar no mercado de trabalho, e potencialmente insubmissos, em outras palavras massa de manobra para projetos que visam destruir o que chamam de alicerces da civilização ocodental opreessora, basicamente a família e o cristianismo, e o estado burguês.
O pior é que é uma geração, digamos da abundância. São seres mimados, geralmente de classe média, que vivem confortavelmente de uma forma geral com seus pais, complacentes, porque formados também nesta sociedade da abundância, digamos assim. É a turma do politicamente correto, onde de uma forma autoritária querem mudar a linguagem inclusive as que apontam questões de gênero, são supostamente racistas, ou supostamente atinjam quaisquer minorias autodenominadas oprimidas.
Até a história querem intervir, derrubando estátuas de heróis do passado, em ações mais do que ridículas, que chamaríamos de falácia histórica, ou seja, julgarmos a história com conceitos e concepções contemporâneas. Aqui queriam até censurar Monteiro Lobato pelo seu suposto racismo por causa de uma das suas personagens Tia Nastácia, a famosa negra que povoava as estórias infantis do grande escritor, dentre outros exemplos mais do que ridículos.
Para essa gente, o governo Trump é fascista porque defende instituições tradicionais como a família e o cristianismo. Aqui Bolsonaro é apontado como fascista, nazista, racista, anti feminista e o escabmbau, e pior: Vendem esta imagem lá fora, com a complacência da mídia e dos grande jornais, todos acobertadores destas agendas, que são financiadas, pasmem, pelos chamados meta capitalistas, como Bill Gates e suas fundações, George Soros, e similares. Em poucas palavras essa gente que representa a nova esquerda é financiada pelos maiores capitalistas, globalistas, que querem, digamos implantar um novo processo dito civilizacional, baseados no chamado relativismo, onde tudo pode contra os alicerces da chamada civilização ocidental e cristã.
É essa gente que apoiada pela força das interrelações internacioinais e midiáticas, buscam denegrir o país, agora sobre a questão ambiental. Vendem o Brasil e o presidente como um agente devastador da amazônia atrapalhando o governo em políticas que buscam aliar os cuidados ambientais com a exploração econômica. Justamente a amazônia, riquíssima em minerais, e ainda inexplorada, dentre outras barbaridades. Para essa gente o povo cristão é um empecilho a toda essa agenda, mas é o homem comum, aqui e nos States que lutam contra tudo isso, e mantém não só a eleição de conservadores, mas dos valores mais caros ao ocidente, a família e o cristianismo. A luta é grande e ideológica, portanto é preciso organizar a sociedade em termos conservadores, afinal esta gente, digamos, são as minorias, e muito organizadas.
Aqui precisamos formar mídias conservadoras, partidos, e centros de estudos, e quebrar a camisa de força da ditadura esquerdista nas nossas universidades, em suma é uma luta a longo prazo, mas absolutamente necessária. Senão simplesmente não teremos futuro como nação.

Um comentário:

  1. Kkkk
    esquerdistas o QUE?

    Esses são anarquistas de direita , bando de vagabundos

    O STF vai chegar em breve , em quem trabalha espalhando FAKE News em blogs

    ResponderExcluir