A ditadura do politicamente correto - Rafael Brasil

6 livros incríveis de Nelson Rodrigues | Estante Virtual Blog



Se vivo fosse o grande dramaurgo e cronista Nélson Rodrigues seria preso, e pasmem, linchado pelas feministas enraivecidas. Aliás nunca vi uma feminista sem ser enraivecida, afinal o que é que elas tem? Ou não tem? Afinal Nélson dizia que toda mulher gosta de apanhar. Só as que amam, ressaltava. E Costinha, com seu famoso quadro a bichinha do Costinha? Seria lichado pelos gays revoltados, e também preso, aliás seria patrulhado pela própria emissora que apresentava o quadro, a globo, o antro de corretos políticos, gente chata pra cacete. Por essas e outras a emissora desce ladeira abaixo. Marchinhas de carnaval como a Cabeleira do Zezé, ou mesmo Nega de Cabelo Duro, seriam achincahladas pela patrulha, censuradas e seus autores processados e quem sabe presos? Pois é. O mundo está cada vez mais chato, e o que era uma dos nossos tesouros, o bom humor até debochado, está prestes a se esfumaçar.
Na Inglaterra um sujeito perdeu seu emprego numa universidade porque disse que mulheres menstruam. Ora essa segundo a patrulha do politicamente correto issio foi um desrespeito aos travecos, que, digamos se sentem mentruados, ora essa. Ou quem sabe menstruadas? Outro cidadão norte americano estava no carro, esfregando os dedos, quando de súbito foi interpelado por um cidadão esbravejando que ele estaria fazendo um gesto racista ao esfregar os dedos. Filmou o ato "abominável",  botou nas redes sociais e o sujeito perdeu o emprego. Um time de futebol americano com nome indíigena, não me lembro qual, teve que mudar o nome e o símbolo por ser, digamos, ofensivo às nações indígenas. E vai por aí. Enfim a imbecilidade é global, pelo menos no ocidente, e vem justamente das universidades onde a imbecilidade e o autoritarisnmo abundam.
E aqui na província, quas alguns inrtelectuais chamam até com razão de periferia do capitalismo, os idiotas da objetividade copiam tudo, sobretudo o que não presta, comunismo, e o novo comunismo o da diversidade, onde todos se ofendem, afinal até gordo não pode ser chamado de gordo, imaginem gorda, aí o mundo acaba. Seria gordofobia com antifeminismo, vige maria.
O que não se pode ser é cristão. Aí a casa cai. O cristianismo é a religião mais perseguida do mundo, e aqui no ocidente passou a ser fundamentalista e pior: Defensora da opressora família tradicional, onde essa turba chama de ditadura do patriarcado, afinal temos uma lei, a da palmada que impede os pais de darem umas boas chineladas em moleques mal educados , isso pra dizer o mínimo.
Coitada minha vó, que teve doze filhos, e com seus milagrosos beliscões, cocorotes, e chineladas criou e formou todos eles, além de um moleque sonso e mal ouvido como eu. Com seus milagrosos beliscões me criei, e acho que não sou dos piores seres humanos , assim como minha doce mãe e meus tios brabos. Saudades dela e de seus beliscões.
Na verdade essa turba de chatos e ignorantes deveriam levar umas boas chineladas, afinal cresceram no bem bom, e ainda se sentem oprimidos ora bolas.
Mas como diria minha vó, a vida ensina, e de uma forma mais cruel, digamos assim. Que esses chatos vão se lascar e viva Nélson Rodrigues, afinal é como sempre digo: tanto aqui como lá fora, o que pode nos salvar é o senso comum do povão, que sempre esteve muito à frente desses merdas acadêmicos. O mundo seria bem melhor sem eles. Ademais estava certo Weitraub, o anterior ministro da educação em querer fechar muitos cursos de de humanas. Enfim pra que serve um sociólogo? Ou um "filósofo" acadêmico de chinelo, pé sujo e barba fedorenta? Fica a pergunta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário