Quem ameaça nossas instituições? Rafael Brasil



O que temos visto na nossa mídia esquerdista em sua grande maioria é a mentira, mais uma de que Bolsonaro é uma ameaça a nossas instituições democráticas, ridículo. Esta cantilena é repetida ad nauseun não só pela mídia mas sobretudo pelas nossas chamadas classes falantes. Mais ridículo ainda é que as tais classes, principalmente a acadêmica sempre apoiou e apóia as piores ditaduras do planeta que são as ditaduras comunistas. E ainda apóiam entusiasticamente nas cátedras das universidades, uma vergonha.
Depois acusam os apoiadores de Bolsonbaro, com a complacência do mesmo de pregarem a ditadura militar, quando todos sabem que as manifestações da direita são extremamente pacíficas, e só algumas pessoas pregam intervenção militar e a volta do AI-5, geralmente sem saberem do que se trata. 
Enquanto isso, nas manifestações de esquerda pululam gravuras de facínoras como Che Guevara, e nos congressos dos partidos comunistas exaltam Lênin, e outros agentes do totalitarismo. Aliás foi Lênin quem fundou as bases do estado totalitário em seis semanas, sendo depois copiado, com as devidas adaptações por Mussolini e Hitler.
Essa gente é de uma hipocrisia sem par, afinal mentir faz parte da estratégia revolucionária, basta ler o o póprio Lênin, Trotski, Gramsci e tutti quanti.
Na verdade a raiva dessa gente é a popularidade do presidente, por isso ainda não conseguiram o derrubar. Tramam golpes diuturnamente, e o acusam de tudo, mas o povo enfim não é besta, está mobilizado e se organizando, afinal o estado ainda é dominado pela esquerda, daí um dos motivos do nosso atraso.
Claro, a democracia é uma planta frágil, como sabemos, e quem realmente a preserva é Bolsonaro, e a direita, contra fatos não há argumentos. 
O resto é conversa de perdedor e gente que se dizia defensor da democracia agora está tirando a máscara, vide FHC e integrantes do PSDB, autointitulados defensores do socialismo democrático. Uns golpistas safados, mas isso é outro assunto. Que se danem, com suas mentiras, ora essa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário