Quadrilha do STF confronta povo e governo de novo - Rafael Brasil




Ou o congresso e o governo acabam com o ativismo judicial, ou o STF acaba com o governo e o povo. Se for pelo congresso fica difícil afinal em sua maioria ele joga contra o governo,  segundo o ex deputado Roberto Jeferson, está com síndrome de abstinência de propina. Bem, o ex deputado falou o que até as pedras sabem. Sem cargos , sem propina, sem propina nada de eleições, estas movidas a muito dinheiro.
O STF dá retaguarda jurídica à cleptocracia, e é ideologicamente de esquerda, inconformada com a derrota nas eleições, mas com muito poder posto que domina a máquina estatal, desde os barnabés aos marajás. 
E por falar em marajás, ninguém nem falou mais em descontar os altos salários e mordomias, sobretudo do judiciário e legislativo, em todas as esferas da república. Enquanto o povo sofre e o país definha, a nata do estamento burocrático do estado que obriga o povo a passar fome em casa goza das maiores e intocáveis mordomias, afinal são eles que mandam no país.
Esta semana Celso de Melo, o juizinho de merda, segundo o ex ministro da justiça de Sarney Saulo Ramos, vai convocar com uma rapidez impressionante para os padrões de cágado da corte,  as testemunhas do caso Moro para depor. Dentre eles, a deputada Carla Zambelli e o general Heleno. Só não convocam gente como Renan Calheiros e muitos outros notórios ladrões da república, afinal são a eles associados.
O ministro Alexandre de Moraes, o ex advogado da ORCRIM PCC e metido em vários casos de tráfico de influência e corrupção nos governos do PSDB, trata de atrapalhar a nomeação do diretor da ABIN a pedido do corrupto PSB, afinal  de que essa gente está com  tanto medo das mudanças na polícia federal e na sua conexão na ABIN? Claro, todos sabem que tem muita lama debaixo do tapete podre da cleptocracia, e falta muita gente na cadeia, inclusive os de toga, ainda completamente impunes.
Só mesmo uma revolução democrática e popular para mudar esse quadro. Simplesmente com essa constituição não dá mais. Só o povo e o exército juntos para enfrentar essa gente. 
O povo está unido, mas o exército hesita, afinal bateram continência há décadas para a cleptocracia que nos domina. Até quando?

Nenhum comentário:

Postar um comentário