Ditadura bandida do STF se consolida. Cadê os militares? - Rafael Brasil

CELSO DE MELLO EMITE CARTA CONDENANDO ATITUDES DE TOFFOLI E ...


O STF afronta à constituição diariamente, e provoca uma crise institucional sem precedentes no país. Impede o presidente de nomear um diretor da polícia federal, ameaça generais de condução coercitiva diante de um inquérito ilegal, quando o mesmo tribunal se posiocionou contra a prisão coercitiva de bandidos, quis apreender o celular do presidente, e agora querem cassar o mandado do próprio general Heleno, dentre outras arbitrariedades.
Hoje, a mando do STF a polícia federal apreendeu os computadores de Allan dos Santos, dono da mídia direitista Terça Livre, quando o mesmo se recusou, como joirnalista a comparecer a um inquérito do próprio STF, sem saber o teor das acusações, coisa das piores ditaduras. 
Tudo a soldo de Alexandre de Moraes, que foi advogado do PCC, uma das mais temíveis organizações criminiosas da nossa história.
Enquanto isso, no congresso os corruptos de sempre cercam ministros do governo, como o da educação Abrahan Weitraub, e a ministra dos direitos humanos Damares para se explicarem sobre as palavras proferidas na gravação da reunião preesidencial. O ministro da educação disse que o STF é um bando de ladrões e deviam estar presos, o que aliás todo mundo sabe.
Enquanto isso no congresso avançam medidas para censurar a internet, e soltaram dinheiro para artistas que estavam revoltados com o corte de verbas para manterem suas atividades, que sem o dinheiro estatal estavam à míngua. Digo e repito: Ou o exército através do art. 142 da constituição federal intervém no STF, ou entraremos numa guerra civil. Aliás já estamos, dado que o próprio STF tirou os poderes do presidente na pandemia, deixando o povo à mercê de governadores corruptos e esquerdistas, ou seja, integrantes da maior organização criminosa da nossa histíoria.
Simplesmente não dá mais. Basta! Mas por enquanto os bandidos do STF avançam para derrubar o presidente e devolver o poder à cleptocracia que pertencem. Isto vai ficar assim? Com a palavra o exército.

Nenhum comentário:

Postar um comentário