Os traíras terão seu dia. - Rafael Brasil

Mandetta manda recado em live de artistas e pede distanciamento social


Já dizia Nélson Rodrigues, que só o inimigo nunca trai. No caso os esquerdistas são mais sinceros, digamos assim, não escondem sua psicopatia social em nome do poder, e na situação do país, foram fragorosamente derrotados na eleição presidencial, embora ainda dominem o aparelho de estado, portanto ainda tem muito poder. E que desde sempre são ferrenhamente contra a direita, e lutam, juntamente com o estamento burocrático do estado e os corruptos aliados de sempre para , se não retomar o poder, pelo menos frustrar os planos da direita.
Mas hoje o problema nem é tanto a esquerda. São os traíras do governo, gente que se elegeu às custas do bolsonarismo e agora buscam a todo custo reverter, digamos o curso da história e do povo, buscando manter o status quo do chamado presidencialismo de coalisão, em outras palavras, manter a cleptocracia nacional como sempre impune.
Todos sabem, que se o presidente ceder a essa turma perderá boa parte do seu eleitorado, que quer simplesmente reformas radicais, num sentido , digamos, verdadeiramente democrático e republicano.
O povo quer justiça, segurança e trabalho, basicamente. E tudo isso passa pela reforma do estado , da justiça , e claro da economia, com um direcionamento , digamos mais liberal, que é o que Paulo Guedes e sua excelente equipe vem tentando fazer.
O pior é que, pelo menos essa turma, mais especialmente os ditos liberais, fazem de tudo para minar às reformas, e pior: Lutam ferozmente para derrubar o presidente, tachando-o de despreparado e incompetente. Justamente o presidente que montou a melhor equipe econômica desde a redemocratização. São uns oportunistas, e claro, uns safados. E pior: Essa gente está querendo vender literalmente o Brasil para o imperialismo comunista chinês neste momento de grande crise.
Dentre estes traíras, que não são poucos se destaca o ministro da saúde o tal de Mandetta, que quis e está desmoralizando o presidente jogando na crise, inclusive querendo proibir o remédio cloroquina, que poderá ajudar significativamente na cura ao coronavírus, esta foi a polêmica da semana.
Claro, o presidente, juntamente com seus assessores militares teve que engolir seco essa gente, juntamente com os governadores e políticos que apostam na crise. A esquerda está quieta, assistindo tudo de camarote, e claro, se mexendo nos bastidores para acirrar os conflitos.
Depois da crise veremos. É como diz um ditado, quando a maré baixa, a gente vê quem está nu ou vestido. Juntamente com a aproximação com Trump, que vai tentar barrar as garras do dragão chinês, o presidente tem que ter um acerto de contas com estes pulhas. Avançar nas reformas e na aliança com os Estados Unidos, e preparar seu partido para ter uma boa bancada no congresso, mudando significativamente as correlação de forças. Como diria Lênin, é preciso às vezes recuar para avançar. E depois quebrar as pernas desses adversários. É isso aí. Força presidente, força povo brasileiro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário