Moro mente dizendo que a PF e o STF eram isentos - Rafael Brasil

FEMCUT-MG | Sergio Moro e as perguntas que não querem calar



Na briga entre Sérgio Moro me Bolsonaro, o ex ministro da justiça acusou o presidente de querer instrumentalizar a polícia federal e a justiça interferindo nas investigações e processos. Mentira, o presidente apenas reclamou porque a polícia federal não investigou o caso Adélio Bispo, e é realmente estranho que tal investigação não tenha prosperado.
O pior de tudo isso é o ex ministro afirmar que a polícia federal e a justiça sempre agiram com isenção. Ridículo, pois nunca as instituições o estado foram tão aparelhadas e instrumentalizadas pelo PT, e o pior: Ainda são dado que o STF fez e faz de tudo para enterrar a lava jato. A respeito, Lula quando presidente mudou inúmeros integrantes de cargos na polícia federal, e os ex ministros Thomaz Bastos e Cardoso eram uma espécie de advogados do PT com todas as ramificações possíveis nestas instituições para proveito político próprio.
Além disso, qualquer cidadão minimamente informado sabe da penetração esquerdista em todas as instituições do estado, muito antes do PT chegar ao poder. Das escolas e universidades, sobretudo os cursos jurídicos e domina os processos de seleção inclusive.
O ex ministro dá um tiro no pé, afinal ele foi vítima deste aparelhamento e o STF é exemplo disso tudo, afinal, muitos ministros da corte foram indicados pelo PSDB e depois pelo PT, até um macaco prego sabe disso.
Na verdade o ex ministro quer ser presidente, e já acenam com apoio o moribundo PSDB e o centrão, em poucas palavras as velhas raposas da política.
Claro, o ex ministro goza de grande popularidade, mas de qualquer forma uma possível polarização entre Bolsonaro e Moro numa possível disputa tiraria o PT e a esquerda do páreo. Seria interessante o PT apoiar Moro contra Bolsonaro. Mas fazer o quê? Em política tudo é possível, e para comunista o que menos importa é a ética. É pra rir? A ver.

4 comentários:

  1. sérgio moro é um TÍPICO servidor público de carreira e da elite do judiciário: ganhava um salário IMORAL (como juiz federal, não ganhava menos que R$ 40.000,00/mês), trabalhava 6 horas/ dia, tinha 2 meses de férias por ano, tinha estabilidade no emprego e aposentadoria precoce antes dos 55 anos de idade. Demagogo e MENTIROSO, disse que não se enriqueceu no serviço público. DESLEAL, não apenas com o Presidente, mas, também com a deputada Zambelli, da qual foi PADRINHO de casamento, REVELANDO à globolixo o teor da conversa PRIVADA !!! Essa besta-fera não preservou ninguém !! Não produziu nada de relevante à frente do Ministério da Justiça, logo, ninguém vai sentir falta !!

    ResponderExcluir