É crime pedir intervenção militar? Rafael Brasil

Intervenção militar é pedida por parte do povo brasileiro


Sempre fui contra o regime militar,  os milicos no poder fizeram muitas besteiras, afinal foram governos tecnocráticos de linhagem positivista como sempre foi tradição na nossa república nascida de um golpe militar e dos mais fulêiros.
Aliás, durante o regime militar não foi feita nenhuma propaganda anti comunista, e a direita foi tão perseguida quando a esquerda, até mais porque  os milicos burros como são, nada conheciam de Antônio Gramsci, cujas idéias de revolução processual e cultural já tinham conquistado corações e mentes da esquerda. Em poucas palavras, segundo Gramsci, a revolução passiva seria processual, lenta e gradual, conquistando corações e mentes através da cultura, a mídia e os meios de comunicação.
E foi aí que a esquerda entrou alegremente, dominando já no regime militar, a mídia, o mercado editorial, e a cultura. Eu acompanhei tudo isso, porque era esquerdista também e li tudo de Gramsci publicado no país, no final dos anos 70.
O general Golbery do Couto e Silva, considerado o intelectual do regime, era na verdade um imbecil, pois tinha uma idéia ridícula de sístole e diálise, que em resumo abria espaços para a esquerda não violenta, segundo ele, era para abrir uma hipotética panela de pressão, deixando os comunistas fazerem a festa, desde que não pegassem em armas. Assim, muitos comunistas foram tomando desde já o aparelho do estado, inclusive a tecnocracia já nos anos 60.
Conheço muita gente que trabalhou nas altas esferas do estado, inclusive da minha família. Golbery, claro nunca leu Gramsci, nem tampouco nada ou quase nada sabia do pessoal da escola de Frankfurt que já espalhava suas esdrúxulas idéias no cenário esquerdista internacional desiludidos com o que chamavam de socialismo real, ou seja o comunismo soviético e outros menos votados.
Já os quadros da direita foram afastados e até cassados dos seus direitos políticos como Carlos Lacerda, e outros, e na esfera cultural, foram sendo afastados dos jornais, revistas e meios culturais.
Hoje vivemos uma situação no mínimo esdrúxula.
A redemocratização trouxe a constituição de 88, chamada por muitos de constituição cidadã. Na verdade, uma constituição de colorações esquerdistas, tipo social democrata, que no dizer de Roberto Campos, apontava para a redistribuição da miséria, afinal como distribuir o que não se tem? E muitos direitos, sem as obrigações consequentes. 
O próprio Sarney disse, acertadamente, que com essa constituição o país se tornara ingovernável. O resultado está aí. O aumento explosivo da inflação no primeiro momento e da carga tributária, depois a estagnação com o crescimento do estado, este já expandido na época do regime militar, para a alegria da esquerda.
Hoje muitos pedem pela volta do regime militar até do AI 5, a maioria por desconhecimento, mas pela noção não explicitada, de que esta constituição não presta mesmo. Só serve para proteger as elites do estamento burocrático do estado do povo, que clama por justiça, trabalho e paz.
E agora, nestes tempos de pandemia vem estes merdas, ditos arautos da democracia defenderem nossa constituição, que nada tem de democrática. Querem criminalizar setores do povo que pedem por intervenção, mas agem sempre em conluio para manter esta cleptocracia infame que nos governa.
Criminosos são eles, mancomunados com esta quadrilha do STF e do congresso. Na verdade o país precisa de uma revolução democrática e popular, e mesmo fechar este congresso e o STF, fazendo uma nova constituição referendada pelo povo. 
Estas elites do congresso do STF e do estamento burocrático do estado devem ser LITERALMENTE jogadas na lata de lixo. Afinal já estão na lata de lixo da história, quem duvida?

Um comentário:

  1. Texto segue a linha analítica do excelente Olavo de Carvalho,profeta destes confusos tempos,que sozinho desmontou a hegemonia esquerdista na área cultural brasileira. Bravo, Rafael Brasil ! Olavo tem razão !

    ResponderExcluir