OS INIMIGOS DO POVO TRABALHAM - RAFAEL BRASIL



Desde 2013 o povo luta desesperadamente e sem lideranças confiáveis, pela liberdade. Liberdade de ir e vir, o que é básico em qualquer sociedade minimamente organizada. E a mínima garantia de direitos básicos, como saúde, educação, moradia e, claro, trabalho.  Com um sistema político apodrecido, tivemos que optar entre dois bandidos, Dilma e Aécio, e o resultado é um país em pedaços. Crise econômica, com a maior recessão da história, e o mais grave: a estagnação. Há décadas, sacrificamos gerações, sem empregos ou perspectivas maiores, pelo baixo crescimento e pouca produtividade. Em poucas palavras, nossa população é pobre, sobretudo em educação, pouco treinamento, afinal. Se continuarmos nesta armadilha do baixo crescimento, estaremos fadados à pobreza, e sempre vítimas do populismo esquerdista. A Argentina é um exemplo, se bem que por lá, seria o caso de um rico que ficou pobre. Aqui a miséria é histórica, mas tivemos momentos de alguma luz, logo apagada pelos demagogos de plantão.
Então tem-se que cuidar da economia, o que o governo vem fazendo, e muito bem. Se a economia afundar mais, adeus apoio popular, o que querem os poderosíssimos agentes do atraso, ou seja, para que tudo fique sempre como está. Migalhas para o povão, e os privilégios de sempre da nossa nada nobre elite burocrática, capitaneada pelo judiciário em suas mais altas cortes, e por isso agentes da politicalha dominante, e, claro, a classe política, todos com medo da polícia e da justiça.
Como diria Lênin, um passo atrás, dois adiante. Em poucas palavras, não dá para enfrentar tudo e todos ao mesmo tempo, sem mídia,  sem militância e sem partido. É preciso priorizar as pautas econômicas, e em direção ao capitalismo. As pautas do congresso não devem ser desviadas deste objetivo. O STF está mostrando a raiva até patética destes setores defensores do status quo dominante, que apostam justamente no fracasso econômico para enfraquecer, ou mesmo derrubar o governo, desmoralizando-o. E as massas, digamos assim, estão em refluxo, como diria o sempre citado por Gramsci, o corifeu da filosofia da práxis.
Assim a lava toga pode ser uma armadilha. Afinal a reforma da previdência está nas mãos do senado. E CPI da lava toga poderá servir para colocar a CPI contra a lava jato. É preciso , depois de encaminhada às questões econômicas, enfrentar essa gente, enquanto, que,  a reforma do estado provoque o enfraquecimento das corporações estatais, o que está acontecendo, aliás. E tem as privatizações, afinal, desde Roberto Campos, que foi ministro de Castelo Branco, não tivemos um liberal puro sangue no comando da economia. É isso aí.
Enquanto isso os inimigos do povo trabalham, justamente não só para manter o status quo, mas para se livrar da cadeia. Ademais ainda está faltando muita gente por lá, inclusive ministros e maganos das altas cortes, isso sem falar nos estados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário