Bessa chama Lula de “general da quadrilha”, detona PSOL por defendê-lo e acusa PT de liderar golpe da anistia - por Felipe Moura Brasil

Bessa chama Lula de “general da quadrilha”, detona PSOL por defendê-lo e acusa PT de liderar golpe da anistia

Deputado do PR diz ao blog que manobra abortada na Câmara partiu dos petistas

Por: Felipe Moura Brasil  
Bessa
O deputado Laerte Bessa (PR-DF) rebateu na tarde desta terça-feira as acusações da bancada do PSOL de que o líder do PR na Câmara, Aélton Freitas (MG), foi o arquiteto do acordão pluripartidário feito às escondidas para pautar na Casa na noite de segunda o projeto de anistia de caixa dois, mais tarde retirado de pauta após revolta de parte dos parlamentares em plenário.
Laerte detonou a hipocrisia dos psolistas, afirmando que eles defendem Lula, o “general da quadrilha” que assaltou o Brasil (e que agora virou réu pela segunda vez na Lava Jato, pois, a despeito do mimimi e do trololó, o juiz Sérgio Moro aceitou a denúncia do Ministério Público Federal).
O deputado disse e depois repetiu a este blog que quem convocou a reunião de líderes onde houve um acordão entre vários partidos foi a liderança do PT e que o fato de nenhum deputado petista ter condenado a anistia (como ele fez) durante a discussão na Câmara evidencia a responsabilidade pela manobra.
Participaram da reunião – e concordaram em pautar o projeto, com anuência do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão – líderes de PSDB, PP, PMDB, DEM e do próprio PR de Laerte, que também admitiu a este blog que seu partido “não é um santo, não”.
“Todos concordaram, só que na hora da bagaceira lá, eles correram. Deixaram a mão na bomba do presidente da sessão”, relatou Bessa.
Embora Beto Mansur, que presidiu a sessão, tenha dito à Globonews que o relator seria Aélton, Laerte afirmou que alguns nomes foram ventilados para esse papel, “mas nada oficial”.
“O PT era o maior interessado nisso tudo”, frisou o deputado.
De acordo com uma notícia de VEJA de 2014, Aélton apareceu em uma lista de parlamentares beneficiados por fornecedores investigados da Petrobras.
Não é surpresa que tenha se aliado ao PT no acordão para beneficiar alvos da Lava Jato.
Em todo caso, valeu o discurso de Laerte. Assista.
Siga no Twitter, no Facebook e no Youtube.

Nenhum comentário:

Postar um comentário