O CARÁTER SOCIALISTA DO NAZI-FASCISMO - OLAVO DE CARVALHO



Até o fim dos anos 30 do século XX, nenhum analista político sério, na Europa ou nos EUA, ignorava que os regimes de Mussolini na Itália e de Hitler na Alemanha eram SOCIALISTAS, não só no nome mas na substância da sua política econômica e da sua concepção do Estado. Era sob esse título que os abordavam, por exemplo, Friedrich Hayek e Ludwig von Mises, acompanhados por toda a escola austríaca de economia. Só o ano de 1934 viu surgirem dois livros de grande sucesso a respeito:"Socialisme Fasciste", de Drieu la Rochelle, e "Deutscher Sozialismus", de Werner Sombart", o primeiro uma apologia, o segundo uma análise econômica -- o que já basta para ilustrar a unanimidade com que o termo era aceito como obviedade, sem contestação. Foi só com a entrada da URSS na guerra que a propaganda soviética, com milhões de agentes espalhados pelo mundo, começou a higienizar retroativamente a palavra "socialismo" mediante a teoria maluca de que o nazifascismo era um regime a serviço do "grande capital", idiotice que até hoje é ensinada nas nossas universidades como se fosse a coisa mais científica do mundo. O que o nazifascismo fez com o grande capital, em vez de servi-lo, foi escravizá-lo, chantageá-lo e usá-lo para seus próprios fins, exatamente como o PT fez no Brasil. O Marcelo Odebrecht que o diga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário