Bandeira do Brasil é queimada por "manifestantes", E OUTRAS SAFADEZAS ESQUERDISTAS - NOTINHAS DO ANTAGONISTA

Bandeira do Brasil é queimada por "manifestantes"


"Manifestantes" contrários a Michel Temer roubaram uma bandeira do Brasil de um mastro que fica na Praça Afonso Pena, no Rio, e atearam fogo nela.
A tropa de choque da PM avançou com bombas de efeito moral e spray de pimenta.
O G1 traz uma foto do bando.

Rosemary ganhou apartamento da Bancoop

O promotor Cássio Conserino, do MP de São Paulo, avançou na investigação sobre os imóveis da Bancoop em nome de Rosemary Noronha, revelados por O Antagonista aquiaqui.
Ele passou à ISTOÉ novos detalhes da investigação, que é um desdobramento da primeira denúncia sobre o triplex de Lula. Segundo ele, Rosemary Noronha "recebeu um apartamento da falida Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop) sem tirar um centavo do bolso".
Diz a reportagem:
Rose, como era conhecida no governo quando, a pedido de Lula, ocupou a chefia de gabinete do escritório da Presidência em São Paulo, teria sido favorecida com um duplex de cerca de 150 metros quadrados no Condomínio Residencial Ilhas D’ Itália, numa área nobre do bairro paulistano da Mooca. "Rosemary Noronha não conseguiu provar que pagou o imóvel”, afirmou à ISTOÉ o promotor Cássio Conserino. “Ela, assim como outros personagens ligados a Lula, não apresentou um mísero comprovante bancário de pagamento de uma parcela”, complementa. Os outros personagens íntimos de Lula a que Conserino se refere são o presidente da CUT, Vagner Freitas, e a própria Central Única dos Trabalhadores.

Sucata valiosa


O mais surpreendente no depoimento de Taiguara Rodrigues dos Santos, sobrinho de Lula, está na última linha da matéria da Veja.
"Taiguara, que costuma dizer que está na pindaíba, declarou à PF ter hoje uma renda mensal de 10 000 reais, coletando sucatas."
É uma família de trabalhadores.

Sobrinho de Lula não explica R$ 1,5 milhão


A Veja informa que Taiguara Rodrigues dos Santos, sobrinho do ex-presidente Lula, não conseguiu explicar à Polícia Federal o patrimônio de R$ 1,5 milhão que amealhou em contratos com a Odebrecht.
Em 20 de maio, ele foi conduzido coercitivamente no âmbito da Operação Janus.
"Quando questionado sobre o capital social de sua empresa, respondeu que era de 2,5 milhões de reais. Não soube explicar como chegou a esse montante, mas garantiu que o aporte não saiu de sua conta bancária. Sugeriu que os policiais ouvissem o contador. José 'Emmanuel Camano, o contador da Exergia, deu uma versão diferente. Segundo ele, o capital social da Exergia é de 1,5 milhão de reais, tendo a integralização sido feita por João Germano (51%) e Taiguara (49%)'. Ou seja, de acordo com o relato de Camano, o sobrinho de Lula injetou quase metade do 1,5 milhão de reais na Exergia Brasil, mesmo não sabendo explicar direito como ocorreu essa operação financeira, muito menos a origem do dinheiro. Taiguara e seu contador também derraparam em outros trechos de seus depoimentos."

Nenhum comentário:

Postar um comentário