"O nome da traidora", por Demétrio Magnoli




O golpe de 1964 consumou-se porque o "dispositivo militar" de Jango Goulart não passava de um blefe do general Assis Brasil.

O golpe em curso, identificado pelo governo, avança na estrada aberta pela inércia de Dilma Rousseff, que prefere denunciá-lo em discursos a aplicar as medidas previstas na Constituição. O remédio está no artigo 137, que prevê a decretação do estado de sítio na hipótese de "comoção grave de repercussão nacional".

Sob o estado de sítio, o governo adquire poderes excepcionais para reprimir os golpistas, suspendendo a liberdade de reunião, restringindo a liberdade de imprensa e encarcerando os conspiradores. Mas a presidente nada faz, exceto falar. Isso se chama traição.

No Itamaraty, o diplomata Milton Rondó Filho emitiu circulares às representações no exterior com mensagens de alerta sobre o golpe, mandando que fossem transmitidas à opinião pública no estrangeiro. O gesto patriótico, um eco das denúncias emanadas do Planalto, valeu-lhe admoestação oficial e foi anulado por circular do secretário-geral do ministério.

A conspiração golpista tem ramificações dentro do próprio governo. Dilma reuniu em palácio, num ato de denúncia do golpe, os juristas Celso Bandeira de Mello, Dalmo Dallari, Fábio Comparato e Paulo Bonavides. Em 2001, os quatro protagonizaram tentativa de golpe urdida pelo PT, apresentando pedido de impeachment de FHC.

Os golpistas arrependidos, hoje convertidos em arautos da legalidade, conhecem o texto constitucional. Mesmo assim, não apontaram à presidente a solução contida no artigo 137, uma evidência de que simpatizam secretamente com os conspiradores. Na campanha de defesa da democracia, o governo deve se afastar de aliados ambíguos, cujos princípios oscilam ao sabor das circunstâncias.

A conspiração avança à luz do dia, usufruindo da inação do governo. Uma vantagem disso é que a identidade dos golpistas não está coberta pelo manto da clandestinidade. Na sua missão legalista, o governo tem o dever de elencar os criminosos. Ofereço uma lista preliminar de perigosos subversivos.

1) Sergio Moro. Crimes: violação da lei, instauração do arbítrio. O juiz obtém confissões pelo recurso à "extorsão" (Eugênio Aragão), persegue Lula por motivos políticos e divulga áudios privados da Presidência da República, ameaçando a "segurança nacional" (Dilma). Co-réus: juízes do TRF da 4ª Região, do STJ e do STF que confirmaram suas decisões.

2) Procuradores, auditores e policiais da força-tarefa da Lava Jato. Crimes: atentados contra a ordem política e econômica. A "república de Curitiba" prepara o golpe criando comoção popular por meio de vazamentos seletivos e espalhafatosas operações midiáticas. Na orgia subversiva, desestabiliza a economia, gerando desemprego e "R$ 200 milhões em prejuízos" (Lula).

3) Rodrigo Janot. Crimes: os mesmos que pesam sobre a força tarefa. O Procurador-Geral aceita delações premiadas obtidas por "extorsão" e autoriza interceptações telefônicas que envolveram a presidente.

4) Mídia. Crime: difusão de notícias destinadas a provocar comoção social. A imprensa coordena a operação golpista, disseminando os vazamentos oriundos da "república de Curitiba". Na lista de subversivos, excetue-se a "imprensa" patriótica baseada na internet e financiada por empresas estatais.

5) STF. Crime: legalização do plano golpista. A corte suprema definiu o rito parlamentar do impeachment, que é a forma política assumida pelo golpe de Estado.

6) Manifestantes do 13 de março. Crime: insurreição contra a democracia. Os milhões nas ruas são a infantaria da conspiração golpista.

Dilma trai a Constituição ao convocar CUT, MST e MTST à resistência contra o golpe. Sua obrigação é, na forma da lei, solicitar ao Congresso a decretação do estado de sítio. Se não a cumprir, sujeita-se a impeachment. 

4 comentários:

  1. QUAL FOI O CRIME QUE A DILMA COMETEU? ROUBOU E MATOU? PEDALOU,MAS FHC PEDALOU ,LULA PEDALOU E DEZENAS DE GOVERNADORES PEDALARAM TAMBÉM.

    A DILMA ESTÁ ENVOLVIDA NOS MAIORES ASSALTOS PÚBLICOS PRATICADOS POR TODOS OS EMPRESÁRIOS, EMPREITEIROS,BANCOS E FIRMAS? SE ESTAR,POR QUE OS DELATORES ATÉ HOJE NÃO APONTAM OS MILHÕES E BILHÕES QUE ELA E LULA RECEBERAM DIRETAMENTE?

    MAS O PT É UMA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA NA BOCA DO AÉCIO NEVES E MENDONÇA FILHO,CARLOS SAMPAIO E ROBERTO FREIRE,MAS AS EMPRESAS E EMPREITEIRAS DOARAM BILHÕES DESDE 1985 E DAÍ? ELES TAMBÉM NUNCA FORAM ORGANIZAÇÕES CRIMINOSAS?

    E O PMDB QUE TEM 7 MINISTÉRIOS E 1000 CARGOS DE CONFIANÇA COM O VICE PRESIDENTE COLIGADO COM O PT E AINDA QUER DÁ GOLPE PARAGUAIO? É OU NÃO É UMA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA?

    ResponderExcluir
  2. Você está cego seu anônimo da febre do rato?

    ResponderExcluir
  3. Ela solicitou mas as FA, que são quem deflagram esta ação, não concordaram, porque disseram que não podem contradizer quantidade tão grande de pessoas que representam 97 % da população e disseram que o Art 1º da constituição diz que o povo pode se fazer representar pelo voto mas também pode se fazer representar por si próprio. Daí o PT vai ter que lutar com os comunistas que possui: Haitianos, ganeses, força nacional, mercenários de Cuba, Venezuela e Bolívia, FARC, MST e MTST. Esta turma contra as FA brasileiras que, obviamente, defenderão a grande maioria que é de patriotas amantes da Bandeira e dos símbolos nacionais, contra os comunistas vermelhos internacionais queimadores da bandeira do Brasil nas manifestações deles.

    ResponderExcluir
  4. Dilma foi mentora da roubalheira ideológico-marxista junto com Lula. vide delações de Marcelo Odebrecht e Delcídio do Amaral. Tentou obstacular a justiça nomeando Lula ministro para que fosse julgado no Supremo, o que prova que possui ministros lá na sua mão. O problema é que, com exceção de Lewamdovski, Fachin, Teori e Cardoso, todos os outros já se viraram contra o PT.7x4=Perde o Lula.

    ResponderExcluir