OPOSIÇÕES
Embora e felizmente as ideologias não influenciem tanto a política brasileira, para desgosto dos “libertários” que pululam nas esquerdas, sobretudo nas extremas, o espectro político brasileiro tem hegemonia esquerdista e isto num sentido gramsciano do termo. Estas, psicopatas sociais irrecuperáveis e que ainda vicejam nestas bandas do globo que muitos chamam até apaixonadamente de América Latina. É a terra aonde ainda tem muita gente acreditando no tal socialismo, modelo século XX. Que alguns dizem do século XXI, já que todas as experimentações do século XX fracassaram retumbantemente. Até as formigas sabem disso.
Claro tem muita fachada. Menos  mal.  O que a maioria quer mesmo é se aproveitar dos milhares de cargos no estado, este nunca antes tão aparelhado. Esta é a principal razão da briga com o poderoso PMDB. Os cargos são devidamente utilizados para azeitar a máquina eleitoral, essencialmente corrupta e muito cara. Aonde entra muito dinheiro, as ratazanas aparecem. De todas as cores e texturas. A briga entre os dois partidos é por causa do número das bancadas no congresso. O PT quer a hegemonia. O PMDB, colcha de retalhos sem unidade nacional, não quer perder a força das barganhas. São os tais cargos que geram muito dinheiro nesta enorme máquina de corrupção, nunca antes vista no país. Se a situação nunca foi tão boa, os governos petistas banalizaram ainda mais a roubalheira. Que vai dos sindicatos, atrelados o estado, e financiados por ele, a diretorias das escolas, em sua grande maioria indicada por critérios políticos.
Nossas oposições são, pelo menos nominalmente, social-democratas. Aécio e Eduardo, são, ideologicamente, ligados à esquerda. O PT passou de radical a social-democrata, e agora  para a esquerda cleptocrática, o que pode ser uma redundância. Nem Maluf, ou mesmo Collor, banalizaram tanto a safadeza e a corrupção. E ao descalabro administrativo que conserva o nosso atrasado cartorialismo e patrimonialismo, aonde o estado está presente sobretudo para sugar as já parcas energias de quem realmente produz e trabalha, que é aliás a grande maioria do nosso povo, e que sustenta o país. Ou seja o que resta de capitalismo, e o que não é pouco, no país. Graças a Deus.
 Os governos petistas são reacionários, porque reagem ao progresso. Achincalham quem luta para ganhar dinheiro e subir na vida. O homem de bem é achincalhado todos os dias, pois é o culpado, escolhido pelos “sociólogos” ideologicamente esquerdopatas, da violência no país, pois sempre é tachado como explorador, e causador da miséria alheia.

E é justamente a miséria do povo que leva o governo ser amplamente apoiado pelo assistencialismo. Como fecha o país e enche todos com uma enorme e absurda burocracia, não aponta a verdadeira porta de saída da miséria, que são os investimentos. Sejam nacionais ou estrangeiros. Para o estado, eficiência na educação e saúde, sobretudo preventiva, haja visto nosso descalabro em saneamento básico, questão do século XIX, nos países que contam, claro. Nossa oposição é fraquinha, porque ideologicamente nem difere tanto assim do PT. Só na questão da corrupção aonde o PT é imbatível ao logo de toda nossa história republicana. Corrupto, reacionário e incompetente. Mas o que ela tem de positivo, é que, na prática, são pessoas mais pragmáticas, e bem melhores do que os petralhas, como diria o bom Reinaldo Azevedo. Pobre Brasil. Mas vamos lá. Que esta canalha caia. Pelo voto. Para o bem do Brasil. Seja com Aécio ou Eduardo. Amém.  

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem