COLUNA DE CLAUDIO HUMBERTO

“Olha só quem quer me impedir de entrar no meu quartel!”
Jair Bolsonaro (PP-RJ) a Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) no portão do antigo DOI-Codi



JOSÉ DIRCEU ATACA DILMA E ELOGIA EDUARDO CAMPOS

Ex-ministro da Casa Civil do governo Lula e mais influente dirigente do PT depois do ex-presidente, José Dirceu já não esconde sua aversão à presidente Dilma, a quem chamou de “incompetente” e “desastrada”, diante de uma dezena de convidados para um almoço que lhe foi oferecido na sexta (20), em Brasília. Curiosamente, na mesma ocasião, ele fez elogios rasgados ao presidenciável Eduardo Campos (PSB).

ELA, NEM PENSAR

O grupo de José Dirceu sonha com o retorno do ex-presidente Lula ao governo, mas prefere Eduardo Campos a apoiar a reeleição de Dilma.

CONTRAPONTO

Quando destaca despreparo de Dilma, Dirceu cita o contraponto do talento político do governador de Pernambuco: “Quanta diferença!”.

INCOMPETÊNCIA

Pessimistas, José Dirceu acha que Dilma não tem competência para se recuperar da queda vertiginosa nas pesquisas.

IRRITAÇÃO

Dirceu sobe nas tamancas quando lembra a declaração de Dilma pelo fim do julgamento do mensalão, para “não contaminar” campanha.

CABRAL SE OFERECE, MAS DILMA NÃO O QUER

É lorota do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), a suposta “sondagem” para virar ministro do governo Dilma. A verdade – segundo fonte com gabinete no Planalto – é que Cabral se ofereceu para ser ministro com a curiosa alegação de que “merece” o que chama de “saída honrosa”, após entregar o governo fluminense ao vice Pezão. Mas a presidente não quer nem ouvir falar nessa história.

PORTA DOS FUNDOS

Muito desgastado, até pela atitude arrogante nas manifestações, Cabral quer levar a família para Brasília, a quase 1.000km de distância.

APELO PATÉTICO

Cabral fez a Lula apelo patético, às lágrimas, segundo dirigentes do PT. Comovido, o ex-presidente prometeu interceder junto a Dilma.

NADA FEITO

O governador fluminense também pediu ajuda a José Dirceu para virar ministro, mas o ex-ministro avisou que Dilma jamais o atenderia.

COMO CARRAPATO

No cargo há 33 anos, Antônio de Oliveira Santos, presidente-carrapato da Confederação Nacional do Comércio, foi ao trabalho ontem alegando não ter sido notificado do seu afastamento por suspeita de irregularidades. Conta derrubar a liminar antes de esvaziar as gavetas.

CPI NA GAVETA

Ainda não saiu do papel a CPI para apurar fraude no pagamento de precatórios do Tribunal Regional do Trabalho, em Rondônia. O objetivo é investigar esquema que pode ter provocado rombo de R$ 5 bilhões.

EM ANDAMENTO

Apenas duas CPIs estão em funcionamento, atualmente, na Câmara, sem despertar qualquer atenção: a de Tráfico de Pessoas e a de Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

PITIMAN NO PSDB

Autorizado pelo TSE, o deputado federal Luiz Pitiman (DF) se desfiliou do PMDB ontem, e tem sido cortejado por vários partidos que o querem como candidato ao governo do DF. Nesta terça, aceitou conversar com Gilberto Kassab (PSD), mas sua tendência é filiar-se ao PSDB.

MUDANÇA NO DF

Com a saída do secretário de Comunicação do governo do Distrito Federal, Rudolfo Lago, três semanas após a posse, cresce a opção de Samanta Sallum para voltar ao cargo. E correndo por fora está o jornalista Alexandre Oltramari.

PALAVRAS AO VENTO

Na tentativa de proteger o leilão do pré-sal, a presidente da Agência Nacional de Petróleo, Magda Chambriard, diz que o banco de dados não está na internet, como se os americanos espionassem só e-mails.

BERÇO ESPLÊNDIDO

Hackeado por brasileiros no sábado (21), estava ontem ainda fora do ar o site da Federação Nacional dos Delegados da PF, chamados de “porcos fardados”, sob caricatura de Dilma com Lula no broche.

PÕE NA CONTA

Escritórios especializados faturam com ações de correção de até 88,3% do FGTS. O governo federal reduz o índice com a inflação desde 1999, e em setembro de 2012 o governo Dilma zerou a TR – Taxa Referencial.

PENSANDO BEM...

Dilma Rousseff poderia nomear o mal falado governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, para o seu Cerimonial. Afinal, ele sabe onde pôr os guardanapos.


PODER SEM PUDOR

MORRER NA IGNORÂNCIA, NÃO

Sem candidato forte às eleições presidenciais de 1989, o PMDB hesitava entre Ulysses Guimarães, Waldyr Pires e Íris Rezende, quando Antônio Britto, José Fogaça e Dante de Oliveira foram ao Recife consultar Miguel Arraes. Ouviram o governador de Pernambuco durante cinco horas, com seu jeito engrolado de falar, e foram embora. Na volta, uma forte turbulência provocou pânico a bordo do jatinho. Dante tentou descontrair, sem êxito:

- O pior é que a gente vai morrer sem fazer ideia do que o Arraes falou!...

Nenhum comentário:

Postar um comentário