sábado, agosto 31, 2013


COLUNA DE CLAUDIO HUMBERTO

“É uma incongruência constitucional muito grande”
Presidente do STF, Joaquim Barbosa, sobre o livramento de Natan Donadon, o deputado ladrão


STF PODE TORNAR CASO DONADON MAIS ESDRÚXULO

O Supremo Tribunal Federal pode tornar ainda mais esdrúxula a situação de Natan Donadon, que cumpre pena na Papuda. O deputado, um ladrão transitado em julgado, recorreu ao STF contra o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Aves, que declarou vago o seu mandato e empossou o suplente. O problema é que não há base legal muito sólida que sustente a decisão de Alves, por isso o STF pode garantir as prerrogativas do deputado que a própria Corte mandou para a cadeia.

POR NOSSA CONTA

Mesmo em cana, Natan Donadon quer direito a tudo: salário, gabinete, apartamento funcional, verba de representação, assessores etc.

MALANDRAGEM

O deputado Donadon tenta aproveitar as brechas da falta de legislação específica para se dar bem, mas o STF não deve pegar leve com ele.

INFORMAÇÕES

O ministro Dias Toffoli, a quem caberá decidir liminarmente o pedido de Donadon, pediu informações à Câmara sobre o ato de Henrique Alves.

PARA ELA, TUDO

Após descobrir nesta coluna o amor por motos da presidente Dilma, o governador Agnelo Queiroz (PT) quer trazer o Moto GP para Brasília.

PELA LEI, PATRIOTA É QUEM DEVERIA SER PROCESSADO

O ex-ministro Antonio Patriota (Relações Exteriores), e não o diplomata Eduardo Saboia, é que deveria ser processado por negligência, imperícia e imprudência, segundo preveem o Código de Direito Administrativo e Código Penal. Tudo em razão dos riscos à integridade física, psicológica e à vida dos funcionários da chancelaria do Brasil em La Paz, enquanto Patriota não dava a mínima para problema tão grave.

CÁRCERE PRIVADO

As restrições contra o senador Roger Molina desvirtuaram o asilo e o caracterizaram como cárcere privado. Aí, entra o Código Penal.

ANFITRIÃO CRUEL

Como esta coluna revelou, o senador boliviano foi confinado em um cubículo, não podia receber visitas e teve até o banho de sol limitado.

DESINTERESSE

A liberação de salvo-conduto foi inviabilizada por delongas propositais e paralisação do processo, por desinteresse de Patriota. E isso é ilegal.

HOUVE TENTATIVA

O presidente da Câmara, Henrique Ales, tentou, mas não conseguiu cassar Natan Donadon (RO) com base no artigo 55 da Constituição. Mas foi informado que só faltas não justificadas resultam em perda de mandato, e o ladrão não podia aparecer no trabalho: estava em cana.

NEGATIVE VIBRATION

O deputado Marcio França (PSB-SP) ironiza que presidente Dilma mais parece uma ‘kriptonita’, pedra fictícia utilizada pelos inimigos do Super-Homem: “Ela esvazia a energia do povo, do governo e do Congresso”.

NEOLOGISMO

Palavra nova para a próxima edição do dicionário Houaiss, após o Congresso garantir o mandato do deputado preso Natan Donadon (RO): “Detentado”. Condição de detento que também é deputado.

CABO DE GUERRA

Filho do embaixador Guilherme Saboia, o diplomata Eduardo Saboia, que desafiou Dilma tirando da Bolívia o senador Roger Pinto, é neto de Henrique Saboia, ex-ministro da Marinha do governo José Sarney.

NA TELINHA DO IPAD

Ao lado de guarda-costas, a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Minc, usou seu iPad na longa a fila de consulta ortopédica em hospital de Brasília (particular, claro, ela não é louca), na quarta-feira.

EU, NÃO

Foi a colega de partido Jandira Feghali (RJ) que se absteve na votação para cassar o deputado detento Natan Donadon. A deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) votou a favor e pediu fim do voto secreto.

SAIA JUSTA

José Serra afirma que agora cabe a Aécio Neves (MG) decidir sobre a abrangência e as regras das prévias: “Espero que ele responda como presidente do PSDB, não como candidato”, alfineta.

MANOBRA

O deputado Jerônimo Goergen (PP-RS) atribuiu a pressão de entidades esportivas à “manobra” do senador Gim Argello (PTB-DF) retirando sua emenda à MP 615 que, com o lobby de ex-craques, pretendia obrigar a adoção de ex-atletas como diretores remunerados.

PERGUNTA EM PÂNICO

A PEC do Voto Secreto vai tornar transparentes apenas as votações futuras ou vai retroagir?


PODER SEM PUDOR

CONTINGENCIAR É CRUEL

Quando era ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes recebeu os deputados Virgílio Guimarães (PT) e Athos Avenilo (PPS) e representantes do Norte mineiro. Ex-relator da reforma tributária na Câmara, Guimarães foi direto ao ponto:

- Queremos que você corte 70% da verba prevista para o Norte de Minas...

Diante de um Ciro boquiaberto, ele emendou, agora com ar de súplica:

- ...em compensação, queremos que você libere os outros 30%!...

Todos caíram na gargalhada.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem