Discursos longos e em horários inoportunos

Um pronunciamento em 2012 demorou mais de três horas
A legislação da Argentina prevê que o presidente em exercício tem o direito de interromper a programação televisiva para discursar em caso de situações graves ou excepcionais, mas Cristina Kirchner abusa da prerrogativa. E para falar sobre os programas de seu governo.
Em uma de suas muitas intervenções, ela falou por mais de uma hora em horário nobre, em setembro do ano passado, impedindo que os argentinos assistissem a programas de sucesso. Em outra ocasião, passou mais de três horas em frente às câmeras, testando a paciência dos telespectadores.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem