É bom que Eduardo Campos não só postule uma candidatura à presidente, como concretize tal vontade política. O lulo petismo não suporta o dissenso, porém, por essas e outras é importante que novas lideranças se coloquem na disputa. Eduardo é um cara jovem, medianamente informado, e vai tentar vender a imagem de bom administrador, como aliás tem feito com sucesso aqui no estado. Porém, dificilmente representará o contraditório da politica lulista e pessedebista, ambas de colorações digamos social-democratas, sem condições portanto de Eduardo formalizar um discurso diferenciado ideologicamente falando. Será um discurso tipo Serra ou Alkmin, de um melhor gerenciamento do estado, não questionando a natureza do mesmo e seu caráter deletério para o desenvolvimento capitalista, consubstanciado numa maior liberdade econômica e uma significativa diminuição do papel do estado na economia. Enfim, o que precisamos seria o contraditório. A voz e a vez de forças políticas que criticassem abertamente o modelo dito social democrata, com uma proposta de reforma geral do estado e formação de um novo pacto federativo. Uma espécie de discurso semelhante com o de Collor, feito por pessoas honestas e com posições firmes e incisivas, marcando o realmente diferente. O verdadeiramente contraditório ao estado atual de coisas, que é o liberalismo. Que vem perdendo quase todas, desde os tempos de Getúlio.

LULA PREOCUPADO

Eduardo faz bem em se afastar de Lula, pois o mesmo não o perdoa por ter perdido a eleição em Recife, capital considerada um feudo petista no Nordeste. Lula quer oferecer até a vice para segurar Eduardo. Será que ele sai sozinho, ou iria aceitar a indicação? Lula quer de todo o jeito impedir um concorrente, mais um, na sua seara. Acontece que a "gestão" petista está chegando ao limite. A fadiga está ficando clara para muitos. Quando o PT foi bem, foi justamente quando não mexeu  na politica econômica herdada de FHC. Quando inventaram mexer, vem o desastre que vem acontecendo na economia, com uma cada vez mais exagerada interferência do estado, e de formas cada vez mais anacrônicas.  
Lula como sabemos é vingativo. Vai fazer tudo possível para dissuadir o governador da empreitada. Se não conseguir, vai fazer de tudo para o esmagar. Se aparecer um candidato mais à direita, isto é , mais liberal,  claro votarei nele. Se for Eduardo contra Lula, votarei em Eduardo, que á mais inteligente e pragmático do que os cacarecos petistas, embora nem tanto diferente. Porém em princípio é tudo da mesma. Mesmo o cansado PSDB, cuja liderança se sobressai a do velho e bom Fernando Henrique Cardoso. De longe, apesar da idade, seu melhor quadro. Tem mais. Lula mantém Ciro Gomes no PSB, cuja função é atrapalhar os planos de Eduardo. Ou seja, ainda tem muita pedra no meio do caminho. Mas viva a democracia, cuja essência é o dissenso. Vamos aguardar o desenrolar dos acontecimentos. Saravá!

3 Comentários

  1. Muito bom texto e que eu assinaria só com um pouco menos de liberalismo, reconhecendo ainda que com os petistas fora, o nosso Estado ainda pode fazer alguma coisa que valha a pena. Como disse em texto recente, Caetés ainda será o grande berço do liberalismo brasileiro com você, Hadriel e Zezinho (meu amigo) levando o estandarte.

    Quanto à candidatura de Eduardo, já concordei com você, se for ele e algum petista, o olhos verdes terá meu voto, mas eu ainda prefiro algum partido que não tenha socialismo no nome, e perdemos o Demóstenes para o Cachoeira. Mas, vão-se o homens e ficam as ideias. Quem sabe o nosso partido? Mas, ainda não tenho nem o estatuto pronto. Estou trabalhando. Se até 2014 eu o formar, lançarei você com candidato a presidente. Não serei a vice pois prefiro esperar as eleições municipais de Bom Conselho, onde, penso serei mais útil. Bom carnaval, e parabéns pelo texto.

    Lucinha Peixoto (Blog da Lucinha Peixoto)

    ResponderExcluir
  2. Comentava ontem sobre a possível candidatura de Eduardo com a Val, minha esposa. Prefiro o tal socialista, apesar do peso que o termo embute, aos petistas, valorosos descarados e ladrões. Dos males o menor. E vejam a situação em que o Brasil se encontra ideologicamente: ter de escolher entre Dilma (ou Lula!), Aécio, Marina e Eduardo... Apaguem a luz e fechem a porta!

    ResponderExcluir
  3. O Aércio votou no Renam Calheiros , pensa igual ao PT .Não foi candidato na última eleição por ter deixado setores do seu partido desconfiados , pois , pretendia filiar o PSDB ao PT, ou , melhor , por ele teríamos no Brasil um partido único.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem