A corrupção eleitoral em Caetés sempre foi uma marca registrada da oligarquia dominante da cidade. Funcionários e assessores políticos da prefeitura são devidamente escalados para a prática. Distribuição de dinheiro, promessas de emprego, materiais de construção, e até máquinas para cavar barreiros, como consta na denúncia das oposições enviada  à justiça esta semana. Ainda mais com a utilização dos transportes de estudantes para manifestações políticas, com a supressão do calendário escolar visando a liberalização dos alunos para manifestações políticas. Em outras palavras, em tempo de eleições, quase não tem aula, sobretudo no turno noturno. Isto já tem se tornado prática comum, e a justiça nada faz, como sempre. Nas eleições passadas, eu mesmo fiz uma denúncia, porque naquela época os alunos ficaram praticamente quinze dias sem aulas, enquanto os paus de arara que servem de transporte escolar iam e vinham transportando eleitores e alunos, sem a menor cerimônia. Muitos desses caminhões exibem adesivos de campanha enquanto prestam serviços. 

PRESSÃO AOS FUNCIONÁRIOS CONTRATADOS

Como os funcionários contratados não tem estabilidade, são pressionados para votar de todo o jeito no candidato governista. Recentemente, o ônibus que presta serviço à prefeitura para levar estudantes à Arcoverde, deixou os mesmos na mão para transportar funcionários contratados para assistirem uma "palestra" com o candidato da oligarquia. Quem, não fosse estaria sumariamente demitido. Tiveram que aplaudir o candidato, que , dizem , prometeu efetivar todos na prefeitura. Para isso teria que mudar a Constituição, extinguindo o concurso público. Aliás, é sob o arrepio da lei que esta oligarquia, há mais de quinze anos não faz concurso na prefeitura. Neste sentido, Caetés vive LITERALMENTE, como nos tempos do coronelismo mais rudimentar. Apesar das inúmeras denúncias que nós da oposição já fizemos, A JUSTIÇA NADA FAZ, mantendo a opressão política corriqueira que já dura duas décadas. Neste sentido, vivemos ainda no século XIX, com a predominância do poder dos coronéis e a subserviência dos demais poderes, sobretudo o judiciário. Uma vergonha.

 


1 Comentários

  1. ANTES IA SER LÁ e LÔ. ARMANDO DUARTE EM CAETÉS e SILVINO DUARTE EM GARANHUNS!!! AGORA, FICOU ASSIM: 14 EM CAETÉS E 14 EM GARANHUNS!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem