Vão Misturar Água à Gasolina? Cadê o Pré-Sal?





Observe bem esta foto acima, caro leitor. Ela é o símbolo de uma farsa. Ao menos até agora. Farsa essa que trata da ''autossuficiência'' do Brasil na questão do petróleo.
Soube hoje que o governo permitiu que se misture água à gasolina que eu e você, leitor, usamos. Em nova tentativa de conter a escalada de preços dos combustíveis, a ANP (Agência Nacional do Petróleo) autorizou o aumento na quantidade de água no álcool anidro, que é misturado à gasolina vendida nos postos. Já pensou? Eles são ótimos em mentir, estardalhar, fanfarrear, mas na hora da verdade, as lorotas todas vêm à tona. Desde ontem, o etanol anidro pode ter até 1% de água. Antes, no Brasil, o teor máximo era de 0,4%. Além do mais, o governo começará a importar álcool. Acredite, leitor, é a pura verdade. Iremos importar álcool, e dos EUA. Com a alta dos preços do petróleo, é mais barato para o país importar álcool do que gasolina.
No ano passado, a Petrobrás importou 3 milhões de barris de gasolina de várias origens no início do ano, o que não fazia há cerca de 40 anos, também em função de um mercado interno aquecido. Cadê a autossuficiência? Era só o que faltava: legalizaram a gasolina batizada. O governo agora concorre com os donos de postos corruptos. Diz o presidente da ANP que é por causa da entressafra da cana. Humm.
Parece que estamos descobrindo a sustentabilidade brasileira em biocombustíveis. E como a água é abundante no Brasil, levaremos vantagem sobre, sei lá, os mexicanos.... Como moro na maior bacia hidrográfica do planeta, não terei problemas quanto à minha moto. Só falta combinar com o motor, coitado.
Que tal colocar também mais água no leite da merenda escolar, e mais farinha nos comprimidos distribuídos pelo SUS? Já que estamos em época de cortes de gastos mesmo...Por que não apenas durante essa época de vacas magras? Afinal, alguém terá de pagar a conta. Os tributos já estão aumentando, a inflação já mostra os dentes, pobre povo brasileiro. Não escapa nunca.
A minha querida Val está aqui ao lado rindo e soltou essa:
-Com limão e açúcar, pode-se beber sossegado. Nem dá ressaca, é fraquinha.
Só a Val mesmo, sempre com suas piadas prontas. No mais, nós brasileiros teremos de aguentar mais essa de um governo que não é, nem de perto, aquilo que paga caro para dizerem que o é.


Fonte:http://hadrielf.blogspot.com/2011/03/vao-misturar-agua-gasolina-cade-o-pre.html

6 comentários:

  1. Aos poucos as farsas do Governo Lula vão aparecendo.O Pré-Sal é a Dona Lindú das farsas.

    ResponderExcluir
  2. agora a coisa danou-se mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Norman Gall - O Estado de S.Paulo
    O Brasil é hoje o maior mercado do mundo para bens e serviços do setor petrolífero em alto-mar. Petrobrás é a maior compradora. Entretanto, a escala, o custo e a complexidade dessas necessidades desafiam a indústria brasileira na procura de maiores negócios.

    Alguns consultores acreditam que a Petrobrás poderá gastar US$ 1 trilhão nos próximos anos, em investimentos e custos operacionais de projetos em águas profundas, valor equivalente à metade do Produto Interno Bruto (PIB) de 2010, no maior empreendimento industrial da história do Brasil. Os gastos anuais de capital da Petrobrás nesta década, mais de US$ 45 bilhões, são muito mais do que o orçamento anual da Nasa nos anos 60, em dólares atualizados, quando os Estados Unidos se preparavam para enviar um homem à Lua. Poucas agências governamentais no mundo podem igualar em escala e alcance esse volume de contratos.

    Segundo o presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli, a estatal absorve 10% dos investimentos em capital fixo bruto do Brasil. A Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip), uma associação público/privada, estima que os gastos de capital para o setor de petróleo e gás, em 2009-2012, totalizarão US$ 147 bilhões, ou 60% de todos os investimentos industriais do Brasil.

    A Petrobrás foi pioneira na padronização de equipamento submarino para a produção de peças intercambiáveis entre os fabricantes, reduzindo o tempo necessário para as instalações e os reparos por navios especializados que cobram aluguéis diários de US$ 200 mil.

    Mas Gabrielli advertiu: "O grande estrangulamento e o risco no desenvolvimento do pré-sal estão na incapacidade dos fabricantes de fornecer navios, equipamentos e máquinas a tempo e a um custo razoável. Quando falo de equipamentos, refiro-me a milhares de sistemas, alguns críticos".

    A indústria petrolífera sempre foi arriscada, tanto em termos físicos quanto financeiros, mas muito menos quando as companhias conseguem a integração vertical, controlando o fluxo da produção, transportes, refino e marketing.

    A Standard Oil Trust, de John D. Rockefeller, conseguiu a integração nos primeiros anos de existência do setor, assim como as maiores companhias - Exxon, Shell e algumas outras - até que a revolução da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) nos anos 70, reduziu o controle delas sobre as reservas.

    Com suas descobertas em alto-mar, desde a década de 70, a Petrobrás agora é a companhia petrolífera mais altamente integrada do mundo, com o domínio do seu grande mercado nacional, com o apoio do governo e com acesso privilegiado a grandes reservas em águas profundas nas Bacias de Campos e Santos, enfrentando muitas dificuldades técnicas.

    Em 2009, a Petrobrás dominava o mercado mundial em sistemas de produção flutuantes em águas profundas, na maior parte superpetroleiros adaptados para receber, armazenar e descarregar petróleo e gás extraídos do leito marinho, com 23 dos 49 sistemas flutuantes operando no mundo todo, e 10 das 17 plataformas de produção semissubmersíveis usadas globalmente. Em 2020, as operações da Petrobrás absorverão mais 58 plataformas de perfuração (que custam mais de US$ 600 milhões cada uma), 45 novas plataformas de produção e 309 superpetroleiros e barcos de apoio.Até Obama quer ser nosso parceiro.Aí vem Faé e Hadriel politizar o debate e presumir que tudo seja uma farsa.Tomem remédio.
    Einstein,recife/PE

    ResponderExcluir
  4. A camada pré-sal é um gigantesco reservatório de petróleo e gás natural localizado nas bacias de Santos,Campos e Espírito Santo(região litorânea entre os estados de Santa Catarina e o Espírito Santo).

    Estas reservas estão localizadas abaixo da camada de sal(que podem ter 2 km de espessura).Portanto,se localiza de 5 a 7 mil metros abaixo do nível do mar.
    Os técnicos da PETROBRÁS ainda não conseguiram estimar a quantidade total de petróleo e gás natural contidos na camada pré-sal.No campo TUPI,por exemplo,a estimativa é de que as reservas são de 5 a 8 BILHÕES de barris de petróleo.

    Em setembro de 2008,a PETROBRÁS começou a explorar petróleo da camada pré-sal em quantidades reduzidas.Esta exploração inicial ocorre no campo de JUBARTE(bacia de campos),através da plataforma P-34.

    com a camada do pré-sal o Brasil poderá se transformar,futuramente,num dos maiores produtores e exportadores de petróleo e derivados do mundo.Porém,os investimentos deverão ser altíssimos,pois,em função da profundidade das reservas,a tecnologia aplicada deverá ser de alto custo.
    Isso é realidade professor FAÉ,você juntamente com Hadriel(pelego dos americanos),querem politizar o debate e tentar enganar o público,mas não conseguirão.
    Einstein,recife/PE

    ResponderExcluir
  5. Contra fatos não há contestação.
    Não adianta o fantasma querer argumentar no berro.
    A verdade é que o governo está sim, adulterando a gasolina brasileira, já uma das piores e mais caras do mundo.
    Não perca tempo com retórica e esperneio. Digite no Google: gasolina brasil água. Certamente aparecerão uns 300 resultados sobre o texto que escrevi. O assunto é recente, saui no jornal ontem.

    ResponderExcluir
  6. A gasolina americana contém 1% de água e não vejo chôrôrô.
    a nossa passará ater a mesma quantidade,que é norma internacional.
    Deixem de bravatas e fantasias,vão procurar um candidato pois DILMA está cada vez mais mostrando serviço e passando tranqüilidade aos mercados.
    Tomaz Turbando/Caetés

    ResponderExcluir