Leio nos jornais, que o senhor Marco Aurélio Garcia, um dos principais mentores ideológicos da desastrada política externa brasileira, disse, a respeito da morte do dissidente cubano, por greve de fome. “ O bom mesmo é que não tivesse dssidentes”. Ah, é? Este cidadão sonha com uma sociedade sem dissidentes, aonde todos concordassem e apoiassem el gobierno? Este sujeito devia ou estar preso ou no manicômio. Preso por atentado às liberdades democráticas, ou no manicômio, pois só um ser inteiramente pirado pensaria numa sociedade tão perfeitamente totalitária, digamos assim. Seriam todos robôs? E é este cidadão que está colocando a política externa do país num paradigma, digamos chavista, defendendo tudo o que é ditadura mundo afora. O Irã, com seu totalitarismo teocrático, A Líbia, Cuba dos Castro, e os cacarecos políticos e ideológicos da “nuestra América” como Venezuela, Bolóivia Equador e Argentina, o ex rico que está ficando cada vez mais pobre com esta conversa toda. A Argentina, depois da Segunda Guerra, despontava como a sexta economia do mundo. Hoje, com seus populismos a partir do malfadado Perón, é menor, economicamente falando, do que o estado de Minas Gerais.
Com o apoio ao Irã, adeus assento no conselho de segurança. E cada vez mais nossa parceria econômica e comercial com os EUA decrescem. Os lulistas afirmam que em contrapartida, o comércio com a China cresceu enormamente, compensando as perdas com as relações comm os EUA. Em relação à China, as relações econômicas já são, digamos desfavoráveis ao Brasil. Exportamos comodittes, como minérios e produtos agricolas, e importamos produtos industarializados. Enquanto o comércio com a China, já representa para o país mais de quinze por cento to total, para a Chima o comércio com Pindorama significa menos de um por cento de seu comércio mundial. Sacaram? E ainda, Lula, muito maluco, quer ter a pretensão de liderar a China, não é engtaçado? O certo seria mantermos um aumento de comércio com os EUA, e também com a China, ou quaisquer países, de acordo com nossos interesses. Isto sem falar na União Européia. A mentalidade dos ideólogos da nossa desastrada política externa, é dos tempos da guerra fria. Claramente, o mundo é outro, caminhando felizmente para a multipolaridade. Aí é que entram os chamados emergentes, e é preciso ter muita responsabilidade, mudando radicalmente esta defasada e desastrada política externa.
Apoiar a ditadura cubana, é uma falta de respeito com o cidadão brasileiro. Fidel, está podre de velho, e coisa ruim é duro de morrer, acho que nem o diabo quer. Àquele irmão dele, o Raúl, devia ser fuzilado, do mesmo jeito que já fizeram com muitos pais de famílias cubanos. Disse cinicamente que a culpa pela morte em greve de fome era do imperialismo americano. Parece piada, não? E Lula, disse que o Brasil não pode ser culpado por alguém que decidiu não comer. Engraçadinho, né? Não sabe o que é greve de fome. Aliás, na greve do ABC, quando Lula foi preso num hotel gradeado da polícia federal, e hoje recebe aposentadoria por este ato de “heroísmo”, tentou fazer uma greve de fome, mas mão passou nem um dia. Os grevistas roubavam chocolates, uns dos outros, até que os militares, ironicamente, serviram Lula, ao molho rosé. Claro, todos se fartaram de comida, fazendo o arcebisbo dom Paulo Evaristo Arns, falar para acabar com àquela palhaçada. Duvido, que por quaisquer causa, Lula passe três dias sem comer. É ruim, não? E sem beber? Quantos dias passaria?
A ditadura cubana é tão asquerosa, que proibiram ao m´paximo a presença de pessoas no enterro, E durante a greve de fome, aumentou a repressão aos dissidentes que se reuniram um dia desses...Num terreno baldio. É. O que a ditadura cubana reserva para seus pobres opositores. Toda va cúpula pestista, inclusive figuras como Franklin Martins, sorridentes, tiravam retratos com Fidel e Raúl. Uma vergonha para o Brasil. Mais uma!
Dessa história toda, vale resaltar a coragem da mãe do dissidente, herói da resitência democrática neste triste país caribenho. Ela corajosamente abriu a boca, afirmando que durante sua longa agonia, seu filho foi initerrupta e barbaramente torturado. A respsito de greve de fome, Lula podia falar com seu ex aliado Frei Beto, que fez uma greve de fome a favor dos presos políticos aqui no Brasil. Aliás, a esse respeito Frei Beto não fala. Ele também apóia o regime cubano, para essas pessoas, tal como o finado general Geisel, e a democracia é relativa. O que vocês acham?

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem