Fachin é um canalha! Rafael Brasil

Fachin defende candidatura de Lula e é cobrado por Gleisi a votar ...


Foi assim como bem definiu o jornalista Guilherme Fiúza hoje no programa da Jovem Pan, Os Pingos nos Is. Fachin não passa de um canalha, assim como os demais membros do STF que diariamente fazem as mais torpes militâncias políticas, e como este ministro, defendem criminosos.
Aliás foi Fachin que com a complacência do STF proibiu operações policiais de combate as drogas nos morros do Rio de Janeiro, fazendo o jogo das organizações criminosas que se reorganizaram de uma forma jamais vista, afinal com o apoio dos togados do STF.
Assim como Fachin, os outros membros do STF acham que a eleição de Bolsonaro iniciou uma escalada autoritária no país, ora pura mentira, um acinte aos cidadãos de bem do país que aliás estão muito bem informados.
Escalada autoritária vem sendo tomada pelo próprio STF sempre em conluio com partidecos de esquerda, e membros dos mais corruptos do congresso como o presidente da câmara Rodrigo Maia, e aliados. Afinal foi o STF que inventou um inquérito completamente inconstitucional o das  tais de fake news, prendeu gente inocente, inclusive jornalistas e parlamentares, simplesmente por apoiarem o presidente. Nem na ditadura militar fizeram tais disparates.
Agora vem ese Fachin, defender um criminoso condenado em todas as instâncias judiciais, como fiador da democracia, ora essa! É um canalha, aliás como gente como Gilmar Mandes que participou de uma l,ive com o representante,criminoso e terrorista líder do MST, o tal de João pedro Stédile.
Não adianta, mas todos os dias essa gente mais do que excecrável vem militando e atuando pela implantação do autoritarismo no país, aliás é disso que acusam os direitistas e apoiadores do presidente, enfim, são uns canalhas mesmo, para dizer o mínimo.
Na verdade eles estão abrindo o caminho para a libertação de Lula e a devolução dos seus direitos políticos. É o Brasil contra toda essa gente poderosa que sempre protege os bandidos, sempre fica a pergunta: Até quando?

Nenhum comentário:

Postar um comentário