Bandidagem no país livre graças ao STF - Rafael Brasil

VEJA VÍDEO: traficantes fortemente armados em comunidade com UPP | Thug  life, Gangster, Men



Vi ontem nas redes sociais que as tropas super armadas dos bandidos do Rio de Janeiro já superam as da polícia, isso sem contar os aliados dos mesmos com parte da polícia corrupta. Aliás em termos organizacionais, a bandidagem se reciclou quando o STF impediu a polícia de fazer operações nas favelas do Rio por ordem do comunista, (mais um)  do STF, Edson Fachin.
Aliás o STF soltou cerca de 35 mil presos no país, muitos da mais alta periculosidade e chefes de facções criminosas, sob pretexto de combater o vírus chinês. Fica a pergunta, quando voltarão pra cadeia?
Ainda a semana passada, o próprio STF proibiu de prender menores infratores, eufemismo para crimonosos, em todo o país. Ou melhor, se prender algum, tem que soltar outro. Afinal pela nossa lei de abrandamento de penas para criminosos, a tal teoria do desencarceramento, prender não resolve, o que resolveria mesmo seriam medidas sócio educativas promovidas pelo estado, qie aliás nem ensina o povo a ler.
Em poucas palavras, o sujeito mata, estupra, sequestra, porque é mais uma vítima da sociedade capitalista selvagem, assim basta educar para o cidadão não delinquir mais. Tudo balela como sabemos, pois a perda da liberdade faz parte do princípio da coercibilidade da lei. A impunidade gera mais violência, óbvio ululante. E o Brasil é violento por causa da impunidade, dentre outros fatores.
Enquanto escrevo o Rio virou uma verdadeira praça de guerra, com quadrilhas de narcotraficantes disputando espaços no centro da cidade. Esta liberdade da bandidagem é culpa de Fachin, e do STF, não se pode esconder.
 Afinal infelizmente nossas elites são criminosas, e agora estamos vendo a real dimensão do problema. As quadrilhas vem lá de cima, do estamento burocrático do estado criminoso, e essa gente não quer largar o osso, ajudando como podem seus companheiros. Pobre Brasil, pobre povo brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário