Basta! O povo nas ruas mudando o STF já - Rafael Brasil

Bolsonarismo radical continua trabalhando nos bastidores. A ideia ...


Não dá mais para esperar. O povo está mobilizado desde 2013, indignado pelos desmandos que a esquerda provocou com a derrocada econômica e a corrupção nunca antes vista em uma democreacia na história ocidental, mesmo desorganizadamente. 
Este movimento colossal, veio desaguar na Eleição de Bolsonaro, quebrando a hegemonia da esquerda, há pelo menos três décadas, com governos do PSDB e PT respectivamente. A eleição do presidente veio quebrar esta hegemonia, e contrariar brutalmente os interesses da cleptocracia que nos desgovernava. Ainda mais com o estouro da violência, com as políticas adotadas pelo globalismo dos burocratas da ONU, em consonância com a inteligentsia de esquerda no país, que redundou no desarmamento da população e políticas de desencarceramento, em poucas palavras, a impunidade geral e irrestrita. Enfim o povo quer simplesmente segurança, trabalho e paz.
A chamada  social democracia brasileira trouxe estagnação econômica, um verdadeiro desastre na educação e violência desmezurada e apoiada pelas chamadas classes pensantes de uma universidade e meios de comunicação inteiramente dominadas pelo pensamento e ação esquerdistas.
Tentaram de todas as formas impedir, não só a eleição de Bolsdonaro, com a facada, mas sua governabilidade, com um congresso hostil, sedento de propinas, o que chamam de a velha política. Todas as reformas empreendidas pelo governo foram boicotadas, a da previdência passou pela até então inédita pressão popular.
No segundo ano, justamente este ano que corre, uma agenda liberal estava quase pronta, mesmo com todas as dificuldades, e o país projetava um crescimento, pequeno de ccerca de 2,5% do PIB, porém veio a pandemia chinesa. Foi a chance, muitas diuturnamente tentada para dar um golpe no presidente. Tentaram o golpe parlamenrar branco, com a providencial ajuda do aparelhado STF, tirando os poderes presidenciais. Agora pelo STF, que sob o pretexto ridúculo, pois nada coadunado pelos fatos, tentam imugnar a chapa presidencial, ou seja cassar o presidente e o vice com a conversa das chamadas fake news.
Esta semana várias pessoas foram presas pela acusação inmteiramente falsa de disseminarem gabinetes de ódio, financiadas pelo presidente. Nada de fatos, só ilações e estas medidas de caráter inteiramente antidemocráticas e inconstitucionais, fez o que nenhuma ditadura no país jamais fez. Prender pessoas sem acusações formais, e provoccar o presidente já acuado pela gravação ilegal de uma reunião presidencial e o pior: Querendo aplicar a lei de segurança nacional ao ministro da educação porque o mesmo disse ser preciso prender os bandidos do STF, na reunião privada dos ministros dentre outras barbaridades.
Esta semana o ministro Barroso quer pautar o impeachment do presidente e do vice para efetuar este absurdo, contra quase toda nação indignada.
Amanhã vai ter grandes manifestações populares. E o presidente sinalizou dar um basta nessa situação, certamente baseado na aplicação ao art. 142 da constituição dissolvendo o STF, que é o principal responsável pela permamente crise instalada no país.
O povo espera, ansiosamente que esta medida, extrema, mas de fundamental importância seja tomada para a pacificação da nação. O povo, exercendo sua soberania, segiuindo os artigos primeiro e segundo da constituição, de que todo poder emana do povo e em seu nome será exercido. Em outras palavras, a vontade popular, respandada pelo poder militar, simplesmente. 
Afinal o STF é constituído de bandidos indicados pela maior organização criminosa do país o PT e aliados. Enfim como disse José Dirceu um dos grandes estrategistas do esquerdismo reinante , de que vão voltar ao poder não pelo voto, mas de outra maneira. Qual? Pelo golpe, senão parlamentar, que fracassou, mas da cleprocracia togada. Creio que esta semana teremos o contragolpe, mas reapaldado pela constitituição. Deus permita, afinal o povo não pode ser escravo permanette dessa gente. Quem duvida?

Nenhum comentário:

Postar um comentário