Ciro Gomes, um coroné comunista, tudo a ver - Rafael Brasil

Resultado de imagem para cirop gomes



Em seu clássico romance Tomasi de Lampedusa, O Leopardo, tem uma frase basilar, que é, mais ou menos assim: É preciso que tudo mude para ficar justamente como está. Ciro Gomes, juntamente com Tasso Jereissati, combateram o coronelismo no Ceará, com ímpetos de modernização do estado, afundado no velho clientelismo e coronelismo dos mais abjetos. Assumiram o poder, Tasso, egresso da burguesia, de certa forma manteve a serenidade, digamos assim , mantendo-se como um homem correto da república, hoje ainda senador. 
Já a família Ciro, que tem seu feudo político a partir de Sobral, cidade média do interior do estado,  mantém o poder há quase um século na cidade, e recentemente no estado. Foi ministro de FHC por um breve período, depois um serviçal do petismo, e recentemente candidato à presidência. Ao perder a eleição, passou a criticar o petismo e Lula, revoltado por ter sido preterido no pleito, não chegando ao segundo turno. Depois da derrota petista andou se colocando como alternativa à esquerda ao petismo e hoje comanda o PDT ex partido de Brizola, sem muito sucesso.
Agora, com o caso do tresloucado irmão, que quis enfrentar uma greve de policiais com uma retroescavadeira, numa atitude criminosa, como a maioria da esquerda também enlouquecida, esbravejou contra o presidente o acusando de fomentar indiretamente o incidente. Ele disse uma frase comum à esquerda e que já ouvi muito de inúmeros comunistas. O socialismo não se constrói com flores, isso pra justificar as carnificinas, hoje muito conhecidas dos países comunistas. 
Esbravejando contra o presidente, ele disse que não se combate o fascismo com flores. Justamente um presidente que busca diminuir a presença do estado, quebrando com a eterna hegemonia do establisment podre da alta burocracia nativa, e da igualmente podre classe política, que evidentemente querem deixar tudo como está, em poucas palavras, manter o velho status quo.
É o samba crioulo doido de coronelismo e comunismo, porém tudo a ver. Afinal as maiores dinastias são esquerdistas, basta ver os Castro em Cuba, os Ceausescu na antiga Romênia comunista e a dinastia Kin na Coréia do Norte, só para ficarmos nestes exemplos. 
Como bem lembra nosso Olavo de Carvalho, os comunistas só querem destruir as famílias dos outros, mais especialmente do povão, claro.
Aqui temos dinastias de eternos políticos como os das Família Genro no Rio Grande do Sul, e aqui no estado de Pernambuco, onde quem manda é viúva do finado Eduardo Campos, neto do também finado coroné da esquerda Arraes. Estes, justamente acusavam os outros de oligarcas, mas seguindo a frase de Lênin acuse os adversários do que você faz, chame-os de que você é.
Ciro é um coroné comunista que sempre quis ser presidente. Mudou de partido e de ideologia como quem troca de cueca. Foi da ARENA partido que dava sustentação à ditadura militar, depois se bandeou pra oposição, e agora virou comunista, em plena decadência, menos mal. Como todos, agora endoidecidos, vêem fascismo onde seguramente não existe.
Como o irmão, é um psicopata, mas de umas certas elites em franca decadência. O irmão, Cid, devia estar preso por atentado homicida, e os tiros que levou muito certamente foram de balas de borracha, dado que já está em plena saúde. E o governo "fascista" mandou tropas para o estado do Ceará para botar a casa em ordem.
Já dizia um velho ditado grego que , quando os deuses querem enlouquecer o sujeito lhe dá poder, fazendo-o pensar ser deus também. Muitas oligarquias foram embora, esta agora está perto do fim, novas forças surgirão e estas figuras ficarão na poeira suja da história. Bem feito.


Um comentário:

  1. É lamentável como um maluco de pedra como os irmãos Ciro Gomes e Cid Gomes, se elegem com tanta facilidade, o povo ainda acredita em seres abjetos como eles, vi muita gente boa em campanha para o tresloucado Ciro Gomes ser presidente do Brasil! Graças a Deus, não foi!

    ResponderExcluir