Privacidade no ensino público? OLAVO DE CARVALHO

Privacidade no ensino público?

A Ana Caroline Campagnolo foi um pouco inábil ao lançar o seu apelo, mas em substância ela tem razão. Esses malditos professores comunistas estão exigindo um absurdo e obsceno DIREITO AO SIGILO EM SALA DE AULA. Filmar, gravar, mostrar ao mundo o que eles dizem, ah, isso não, isso nunca! Que caralho esses pústulas estão escondendo? Devemos subsidiar com os nossos impostos sabe-se lá quais segredinhos entre homens adultos e sua platéia cativa infanto-juvenil?
Os que se voltam contra a Caroline, fazendo-se de vítimas e coitadinhos, só provam com isso sua MENTALIDADE CRIMINOSA. Entregar crianças e adolescentes à autoridade desses tipos é um risco maior do que deixar que se eduquem a si mesmas nas ruas.
Existe algo mais imoral, perverso e abjeto do que um adulto exigir o direito de ficar em segredo com uma criança numa sala, longe dos olhos dos pais? Para quê haveria uma pessoa normal de querer uma coisa dessas? A resposta que TODO O PAÍS deve dar a esses vagabundos é NÃO, NUNCA!
QUEM treinou as crianças brasileiras para tirar sempre os últimos lugares nos testes internacionais? Professores não são santos abnegados. Muito menos têm o direito de se esconder dos olhos do público que lhes paga o salário.
Gritar contra a “censura”, no caso dos professores, é de uma hipocrisia mais que criminosa: diabólica. Censurar, por definição, é esconder, é privar o público de ter acesso a informações. Quem está fazendo isso SÃO OS PROFESSORES QUE PROIBEM SEUS ALUNOS DE FILMAR OU GRAVAR AS AULAS. Eles são os censores. Eles e só eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário