Por que ignorar debates como “nazismo é de esquerda ou direita” é um erro - Marcelo Faria

Por que ignorar debates como “nazismo é de esquerda ou direita” é um erro

   
Há um erro claro por parte de alguns liberais e libertários ao afirmar que “a discussão se o nazismo era de esquerda ou de direita é irrelevante”. Isso mostra um completo desconhecimento do embate político. É um claro exemplo de como a esquerda conseguiu fazer um excelente marketing mesmo tendo o pior “produto” intelectual para oferecer – o socialismo-comunismo que matou milhões de pessoas – enquanto os liberais têm o melhor produto – aquele que mudou a história da humanidade para melhor, o liberalismo – mas foram dizimados do debate político nas últimas décadas e chegaram inclusive a perder o uso do termo “liberal” nos EUA para a esquerda.
George Orwell, o socialista que mais acertou sobre o socialismo, afirmava corretamente: “Quem domina o passado, domina o futuro. E quem domina o presente, domina o passado.” E foi exatamente isso o que a esquerda fez nas últimas décadas. Ao dominar o passado, reescreveu a história para jogar socialistas como Hitler e Mussolini para a “direita” e chamar outros socialismos de mero “stalinismo” ou “maoismo”, fez um “rebranding” de seu péssimo produto e permitiu que ele continuasse a ser levado a sério. Ao dominar o passado, permitiu que o socialismo fosse novamente implantado no futuro, em maior ou menor grau. E assim dominou o presente onde nos encontramos.
Se os liberais querem realmente vencer o embate político e ver esse país mudando, é fundamental entrar em debates sobre a classificação do nazismo e do fascismo, por que a Venezuela é socialista e não apenas “chavista” ou “bolivariana” e similares. Sem entrar nessas discussões, seremos igualados a nazistas em comparações sem pé nem cabeça, veremos defensores do “socialismo e liberdade” se dizendo libertários e Lula se dizendo liberal em um tempo não muito distante.
Com uma vantagem óbvia: ao contrário da esquerda, nós temos a verdade ao nosso lado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário