Investigação confirma: Dilma 'trambique' cometeu irregularidade ao furar a fila do INSS para se aposentar Veja

Investigação confirma: Dilma 'trambique' cometeu irregularidade ao furar a fila do INSS para se aposentar

Veja

Resultado de imagem para foto de Dilma


O ex ministro da Previdência Carlos Gabas e uma secretária pessoal da ex presidente Dilma Rousseff foram até uma agência da Previdência na Asa Sul em Brasília, na manhã de 1 de setembro de 2016, conforme informou a Veja. Um dia antes, o Senado havia cassado o mandato da petista.

A presença do então já ex ministro da previdência chamou atenção na agência, principalmente por ele se isolar na sala do chefe do local. Pela desconfiança causada, um grupo de servidores vasculhou o sistema do INSS e logo descobriu que, no intervalo de poucos minutos em que Gabas esteve no local, o processo de aposentadoria de Dilma foi aberto e concluído sigilosamente no sistema. A secretária que acompanhava Gabas tinha procuração para assinar pela petista.

Dilma furou a fila de milhares de brasileiros e se aposentou em minutos com o salário máximo do teto previdenciário. O governo abriu sindicância para investigar o caso quando teve conhecimento.

Nesta sexta-feira as investigações foram concluídas e Dilma foi mesmo favorecida pela conduta irregular dos servidores que manipularam o sistema do INSS para furar a fila de benefícios.

Aposentadoria escandalosamente rápida


Sindicância concluída pelo governo constatou que a ex-presidente Dilma Rousseff,  furou a fila do INSS com ajuda de servidores e obteve benefício sem ter a documentação necessária na ocasião, segundo informações da Veja.
Um dia após a aprovação do impeachment no Senado ,em 31 de agosto de 2016, Gabas já ex-ministro do governo petista, chamou a atenção dos funcionários da agência ao surgir na porta e logo se isolar na sala do chefe da agência. O que o ex-ministro da Previdência faria ali?
No intervalo de poucos minutos que o ex-ministro e a secretária de Dilma estiveram na agência, o processo de aposentadoria da ex-presidente foi aberto no sistema e concluído sigilosamente.
Dilma deixou a condição de recém-desempregada para furar a fila de milhares de brasileiros e tornar-se aposentada com o salário máximo de 5 189 reais. Ao tomar conhecimento do caso, o governo abriu uma sindicância para investigar a concessão do benefício.
Quanto à ex-presidente, a sindicância recomendou apenas que ela devolva um mês de salário que teria sido pago irregularmente pelo INSS no valor de R$ 6 188 reais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário